Desde março, a presidente deixou de reunir semanalmente conselho político.
No domingo (1º), petista anunciou em SP reajuste no programa Bolsa Família.

Sem previsão de participar de eventos públicos nesta segunda-feira (2), a presidente Dilma Rousseff dedicou sua agenda nesta manhã para reunir os ministros Jaques Wagner (chefe de gabinete) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), informou a Secretaria de Imprensa da Presidência.

Até março, a petista costumava reunir, às segundas-feiras, os integrantes de seu conselho políticos, que, à época, era formado por cerca de 10 ministros de diversos partidos que integravam a base governista. Com a debandada de legendas aliadas às véspera da votação do processo de impeachment no plenário da Câmara, Dilma deixou de

Desde março, a presidente deixou de reunir semanalmente conselho político.
No domingo (1º), petista anunciou em SP reajuste no programa Bolsa Família.

Sem previsão de participar de eventos públicos nesta segunda-feira (2), a presidente Dilma Rousseff dedicou sua agenda nesta manhã para reunir os ministros Jaques Wagner (chefe de gabinete) e Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo), informou a Secretaria de Imprensa da Presidência.

Até março, a petista costumava reunir, às segundas-feiras, os integrantes de seu conselho políticos, que, à época, era formado por cerca de 10 ministros de diversos partidos que integravam a base governista. Com a debandada de legendas aliadas às véspera da votação do processo de impeachment no plenário da Câmara, Dilma deixou de organizar os encontros semanais com os conselheiros.

Nessas reuniões, os governistas costumavam avaliar o cenário político e definir estratégias para garantir o apoio da base aliada em votações de projetos de interesse do governo no Congresso Nacional.

Desde que sepultou o conselho político, a presidente passou a se aconselhar no Palácio do Planalto somente com seus ministros mais próximos. Geralmente, participam dos encontros de análise política, além de Jaques Wagner e Ricardo Berzoini, o chefe da Advocacia-Geral da União,José Eduardo Cardozo.

Bolsa Família
Neste domingo (1º),  durante evento de celebração do Dia do Trabalho em São Paulo, Dilma anunciou uma série de benefícios para a área social, entre os quais um reajuste médio de 9% no programa Bolsa Família.

Em seu discurso no evento organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), a presidente afirmou que o vice-presidenteMichel Temer poderá cortar vagas do programa federal de transferência de renda.

“Falam que vão dar Bolsa Família só para os 5% mais pobres. São 10 milhões de pessoas. Hoje, o Bolsa Família atende 47 milhões. Serão 36 milhões que serão entregues às livres forças do mercado para se virar”, declarou a petista na festa do 1º de Maio.

Além do reajuste no Bolsa Família, a presidente anunciou neste domingo que irá enviar ao Congresso uma proposta de reajuste de 5% na correção da tabela do Imposto de Renda para Pessoa Física.

Fonte: G1

COMPARTILHAR