Atletas de Karatê graduados e aspirante a faixa preta que fazem parte do Projeto Mão Amiga e Academia Kenshin de Karatê estiveram participando de 23 a 25 de fevereiro 2018, em Gramado Rio Grande do Sul do Gashuku 2018.

Encontro que envolveu atletas do estilo Wadô Ryu Karate Do Renmei do Brasil, de vários Estados.

Mais de 150 karatecas estiveram recebendo aperfeiçoando da arte do karatê em Kihon, kata, kumite e curso de arbitragem.

Kihon: é a prática dos movimentos individuais. Através da repetição dos exercícios, busca-se aperfeiçoá-los e torná-los naturais. A prática dos fundamentos é essencial.

Kata: são os exercícios formais. É uma luta contra adversários imaginários, onde todo movimento tem uma aplicação prática, de defesa ou de ataque. O kata é a raiz do Karatê, de onde todas as técnicas de luta e defesa florescem.

Kumite: é a prática do combate.

O Gashuku 2018, e o local onde o karateca vai aperfeiçoar seu kartate, foi ministrado pelo Mestre Koji Takamatsu, preside a Organização Wadô-Ryu para a América do Sul e integra a Comissão a Diretoria Técnica da Organização Wadô-Ryu Karatê-Dô Internacional, e pelo mestre Sergio Takamatsu é Professor instrutor na Matriz em São Paulo – Capital e é Secretário Geral da Organização Wadô-Ryu no Brasil,e Técnico da Seleção Paulista de Karatê e da CBK. Ele disse, que este é o grande momento do karateca,o gashuku além de ser o local do aperfeiçoamento da técnica, é também a reunião de uma grande família dispersa pelo Brasil. “ Momento Mágico, onde podemos aprender com nosso mestre, que tem uma vida dedicada ao karatê, e mesmo com seus 87anos faz questão de estar presente e nos três dias mostrar aquilo que tem de melhor no karatê, e , que possamos melhor a cada dia mais, não só como atleta e professor, mas principalmente como pessoas,” disse Sergio.

O Coordenador Técnico da modalidade em Maracaju, sensei Edson Alves de Lima 3º Dan, falou da importância que tem o gashuku para atletas e professores, onde se tira as dúvidas, se aperfeiçoa e melhora a técnica, buscar maiores conhecimentos para poder transmitir aos alunos no dia a dia das academias,em 2019 teremos

4 alunos preparados para fazer exame de faixa preta, o que é sem dúvida um orgulho saber que o que ensinamos surtiu efeito positivo e que os alunos souberam aproveitar, disse Edson.

COMPARTILHAR