Com objetivo de fomentar a agricultura orgânica e agroecológica em assentamentos, aldeias indígenas e quilombos, a Superintendência Federal de Agricultura no Mato Grosso do Sul (SFA/MS), apoiada pelo programa nacional da Coordenação de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (COAGRE/MAPA), implantou o 59º banco de sementes crioulas no Quilombo São Miguel em Maracaju/MS.

O projeto foi realizado em parceria com o Departamento Agropecuário da Prefeitura, coordenado pelo Diretor Eloar Castelaci que auxiliou no preparo de solo, com uso da patrulha mecanizada e cedência de combustível, visando beneficiar 70 famílias de produtores que atendem a alimentação escolar por meio do PNAE. Semanalmente, as famílias comercializam em torno de 2 toneladas de produtos da agricultura familiar no município de Maracaju e o excedente em Nioaque.

O programa das sementes crioulas foi criado pela SFA/MS em 2008, em parceria com a APOMS, Embrapa, CPT, Secaf, Prefeituras, Escolas Agrícolas e Universidades. Os primeiros 11 bancos comunitários de sementes de adubos verdes, apoiados pelo Programa PBCAV/MAPA foram implantados com sementes oriundas da Embrapa.

Atualmente o programa de fomento gerido pela SFA/MS abrange 60 bancos comunitários de sementes, distribuídos em 49 municipios sul matogrossenses, benificiando diretamente 1.320 famílias de pequenos produtores agroecológicos e orgânicos certificados, além de atender em torno de 400 estudantes de três escolas agrícolas, oriundos de 23 assentamentos do estado, aproximadamente 300 estudantes dos cursos de Agronomia da UEMS Aquidauana e UFGD Dourados, e alunos do curso de Técnólogo em Agroecologia da UEMS Glória de Dourados/MS.

O banco comunitário de sementes crioulas do Quilombo São Miguel, foi formalizado no último dia 10 de outubro mediante a entrega de sementes de Arroz cateto e Guarani, Milho Asteca amarelo e roxo, Milho Saboró branco e amarelo e Milho roxo e branco de canjica e Teosynto), leguminosas usadas como adubos verdes (Feijão de porco, Guandu arbóreo e anão, Crotalaria ochroleuca, espectabilis e breviflora, Mucuna preta e cinza) e forrageiras (Milheto e Sorgo granífero). As sementes repassadas ao 59º banco de sementes foram produzidas pelos técnicos do Ministério da Agricultura na Estação Experimental de Sementes Crioulas no município de Bandeirantes.

Em nove anos de atuação do programa de fomento, a SFA/MS já implantou 60 bancos comunitários de sementes, dos quais, seis, funcionam como Unidades Demonstrativas ou de Referência Tecnológica para viabilizar a publicação de trabalhos científicos. Durante o ciclo das leguminosas e forrageiras, são realizadas visitas técnicas, oficinas de capacitação e programações de dia de campo sobre manejo de adubos verdes, voltado para pequenos produtores, técnicos e estudantes. Esses trabalhos e experimentos estão sendo desenvolvidos nas Escolas Família Agrícola de Amambai, Maracaju e Itaquiraí, IF/MS de Ponta Porã e Nova Andradina, UEMS de Aquidauana, Cassilândia e Glória de Dourados e Estação Experimental de Adubos Verdes e Sementes Crioulas da SFA/MS em Bandeirantes.

Segundo o Agente de Atividades Agropecuária, Valter Loeschner, Coordenador do Programa Bancos de Sementes Crioulas da Divisão de Política, Produção e Desenvolvimento Agropecuário da SFA/MS, a meta é implantar pelo menos um banco de sementes crioulas em todos os municípios sul matogrossenses até 2018.

Fonte: Prefeitura Municipal de Maracaju

COMPARTILHAR