Uma das ações da atual administração durante estes 8 anos de mandado foi promover a inclusão social e econômica do homem no campo, principalmente os pequenos produtores e garantir sua permanecia no campo com dignidade.

O Departamento Agropecuário Municipal, através de parcerias com o Senar, Sebrae, Sindicato Rural, Agraer e demais secretárias municipais realiza vários projetos junto aos pequenos produtores, melhorando a qualidade a quantidade de seus produtos e com isso melhorando também a comercialização e renda. Os projetos desenvolvidos vão desde a preparação da terra, orientação com cursos e palestras até a comercialização de forma adequada, incluindo parceiras nas feiras livres são três pontos de vendas com um dia da semana em cada ponto, merenda escolar com logística do transporte. Hoje são cerca de 40 famílias de pequenos produtores dos assentamentos, Comunidade Quilombola, Associação APRAFAMA, chacareiros e sitiantes do entorno do município cadastrado junto ao departamento que recebem todo o apoio. As famílias produzem mais de 20 produtos, frutas e verduras, além de farinha de mandioca, mel, doces, pamonha e  geleias,

Um dos grandes incrementos foi a compra dos produtos através da Secretaria de Educação para compor a merenda escolar, e fornecer alimentos saudáveis para os mais de 6 mil alunos da rede municipal, e Secretaria de Assistência para fornecer alimentos junto aos projetos sociais do município.

Este ano de 2020, com a pandemia, suspensão das aulas e das feiras livres, os pequenos produtores enfrentam uma situação complicada, e, viram toda a sua renda desaparecer; mesmo tendo o produto não conseguia comercializar. Mesmo assim o município continuou dando o suporte técnico e de produção aos pequenos. Uma alternativa encontrada foi o fornecimento dos produtos junto ao kit de merenda escolar que a Secretaria de Educação passou a fornecer as famílias mais necessitadas. São cerca de 600 famílias que recebem o kit mensal, duas entregas já foram feitas, a terceira será no inicio do mês de julho.

A Secretaria de Assistência Social também iniciou suas compras dos produtos da agricultura familiar, porque ela usa esses alimentos para a produção das refeições para a polícia militar, civil, bombeiros e outros órgãos da prefeitura.  É mais uma forma encontrada pelo município, para auxiliar os produtores. Os produtos da agricultura familiar são adquiridos pela prefeitura por meio de chamadas públicas de participação exclusivas dos agricultores familiares, prioritariamente os localizados no município de Maracaju.

A Comunidade Quilombola São Miguel é uma das mais fortes participantes dos projetos com 22 produtores cadastrados. Segundo o presidente da comunidade Jorge Henrique Gonçalves, sem a presença constante do município e todo o apoio recebido a situação era insustentável.” Já vimos o Quilombo ficar vazio, famílias em busca de uma vida melhor na cidade, com a ajuda do município, as coisas melhoraram as famílias voltaram e hoje vivemos uma outra realidade”, disse Jorge.

Para o diretor do Departamento Agropecuário Municipal, Eloar Castelaci, esse é um dos momentos mais difíceis. ‘ As famílias estão unidas, e aos poucos estamos passando esse momento, a comercialização com as secretarias de Educação e Assistência nos ajudam as  feiras livres logo retornam ,e começa a melhorar as condições de renda e qualidade de vida dos produtores, disse Eloar.

O Prefeito Maurilio Ferreira Azambuja, disse que os pequenos produtores só queriam uma oportunidade para desenvolver suas atividades. “Nos enquanto município demos essa oportunidade, eles mostraram seu trabalho e força de vontade, hoje vivem no campo com dignidade. Esse momento é passageiro. assim como nossa administração também está chegando ao fim, mas mostramos a eles que com vontade política e ações sérias e corretas tudo pode acontecer e melhorar a vida da comunidade” disse Maurílio

COMPARTILHAR