Reordenamento do fluxo de veículos na entrada de Maracaju atende escoamento de produção e acesso da população

Conhecedor da realidade da cidade que administrou no período de 1996-2004, sem contar com nenhum apoio do Estado na época, o governador Reinaldo Azambuja honrou seu compromisso com a região ao firmar uma parceria com a prefeitura que vem se traduzindo na transformação urbana e rural de Maracaju com obras de infraestrutura. A cidade também teve um salto de qualidade em saúde e educação e gerou empregos com a expansão agroindustrial.

Em cinco anos e 10 meses de mandato, o governador direcionou para o município investimentos não contemplados por nenhum outro governo estadual: R$ 174 milhões. Somente em infraestrutura urbana e rural, com pavimentação, restauração e drenagem de ruas e estradas de produção, as obras entregues e em execução somam R$ 101 milhões, grande parte com recursos próprios do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento de MS).

Pavimentação e recapeamento e sistema de drenagem em vias urbanas beneficiaram vários bairros, dentre os quais o Cambaraí e Jardim São Sebastião

Além de garantir o pacote de obras, Reinaldo Azambuja atua articulado com a bancada federal e com os governadores dos estados vizinhos para viabilizar projetos estruturantes para Mato Grosso do Sul, um dos quais beneficiará diretamente Maracaju: a ferrovia que ligará o município a Cascavel, no Paraná, em processo de licitação. A ferrovia abrirá um novo canal de escoamento de grãos e outros produtos da região ao Porto de Paranaguá.

“Mato Grosso do Sul será diretamente beneficiado com a construção de um ramal de extensão até Maracaju, uma obra de extrema relevância, pois vai oferecer uma alternativa logística mais competitiva para o escoamento da produção do nosso agronegócio”, destaca Jaime Verruck, secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional, Produção e Agricultura Familiar.

Ligação asfáltica ao polo de armazenamento melhorou a logística de transporte e escoamento de grãos em uma das principais regiões produtoras do Estado

 

Novo pronto-socorro

Recentemente, o governador entregou à população de Maracaju o novo pronto-socorro do Hospital Municipal Soriano Corrêa da Silva, equipando e ampliando a capacidade de atendimento diário de 115 para 300 pessoas. Outros investimentos, totalizando R$ 12,9 milhões entre 2015-2020, foram destinados para reestruturação e ampliação do hospital e está em execução a nova unidade da maternidade, com 515,25 m² de área construída.

“Entregamos um hospital adequado, moderno e com prestação de serviço ampliada. Assim como fizemos em Maracaju, estamos estruturando os polos regionais de saúde, de alta e média complexidade, em todo o Estado. Isso para fornecer novas estruturas de atendimento à população”, disse Reinaldo Azambuja.

A melhoria da saúde também passa pelo saneamento básico, em cujo setor a Sanesul modernizou e ampliou os sistemas e captação e distribuição de água e esgoto da cidade com investimentos que somam R$ 29,1 milhões. Somente em obras concluídas, os valores chegam a R$ 18 milhões, incluindo construção de uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) e dois reservatórios, ativação de poço tubular e implantação de 1.710 m³ de rede coletora de esgoto.

Infraestrutura urbana

Em parceria com a prefeitura, o governo municipalista atendeu pleitos das lideranças locais e das comunidades com a execução de obras importantes de pavimentação asfáltica, recapeamento e drenagem de águas pluviais no distrito de Vista Alegre e avenidas Marechal Deodoro, Mário Corrêa e Marechal Floriano, que fazem conexão com os bairros. “A primeira pavimentação em Vista Alegre foi feita por nós quando prefeito”, lembrou o governador.

 

Escolas estaduais foram restauradas e ampliadas, com climatização, quadras cobertas e acessibilidade: investimentos de R$ 11,8 milhões na educação

Os investimentos em melhoria da infraestrutura urbana somam R$ 8,6 milhões em obras entregues, incluindo a restauração da rua José Pereira da Rosa e a ligação da rua Joaquim Ferreira Azambuja com o Anel Viário, cujo acesso exigia um longo contorno até a MS-162 (saída para Campo Grande). Foram implantados 5.800 m² de pavimento e a obra exigiu um complexo sistema de drenagem, atendendo antiga reivindicação da população.

Maria da Glória: “Nossa rua hoje é um brinco”

“Essa saída (para o anel) foi estratégica, beneficiou não apenas os moradores, mas desafogou o trânsito”, afirma Joseli Aparecida Zimer, 32, cuja família investiu na instalação de uma transportadora próximo à rodovia logo após a implantação do acesso. “Ficou muito vantajoso”, completa. Contemplando da calçada o intenso movimento de veículos, a moradora Maria da Glória, 82, se diz feliz: “aqui era só mato e um brejo danado, ficou muito bom”.

Água Fria, uma realidade

Aguardada há 15 anos pelos assentados e produtores rurais de Maracaju e com o tempo passou a ser fundamental para a economia da região, a pavimentação de 49,5 km da MS-460 foi concluída e entregue em 2017 pelo governador Reinaldo Azambuja. Uma das obras rodoviárias mais emblemáticas da administração, dá acesso ao distrito de Água Fria e interliga a região produtora ao entroncamento com as rodovias BR-060 e a MS-162.

Com investimento de R$ 65,2 milhões, o asfalto beneficiou diretamente as usinas, produtores de soja e milho e as 222 famílias de pequenos agricultores do Assentamento Santa Guilhermina. Complementando a infraestrutura viária, o Estado implantou 1,7 km de asfalto e revitalizou 800 metros da estrada rural que liga o complexo de armazéns de grãos da região à MS-162. A via, no pico do escoamento da safra, movimenta cerca de 100 caminhões/dia.

Pavimentação da MS-460, aguardada há 15 anos, liga região da Água Fria aos principais troncos de escoamento da produção

Pelo Programa Governo Presente, está em fase de elaboração do projeto de engenharia a restauração do pavimento e adequação da MS-157 e acesso à Gleba Santa Terezinha, e a construção de ponte de concreto sobre Córrego Cachoeira (MS-462). Os investimentos do Estado também contemplam outras áreas prioritárias à população, como a casa própria. Foram construídas e entregues 271 moradias, ao custo de R$ 14,1 milhões.

Texto: Sílvio de Andrade

Fotos: Chico Ribeiro

 

 

 

COMPARTILHAR