Embora sejam menos utilizadas hoje, reflexo da difusão dos apps, da conectividade à Internet e da ampla disponibilidade de alternativas gratuitas, como WhatsApp e Skype, ligações telefônicas ainda são feitas — com as mesmas virtudes e problemas que todos conhecemos bem. Alguns contratempos característicos do meio, porém, estão com os dias contados graças a uma nova tecnologia que começa a ser liberada no Brasil, o VoLTE.

O VoLTE, ou “Voice over LTE”, leva as chamadas para a rede de dados de quarta geração (4G) das operadoras de telefonia móvel. Ela traz inúmeras vantagens, com destaque para a melhora perceptível da qualidade do áudio, que passa a ser em alta definição. E o melhor: sem pesar no bolso do consumidor. Embora usem a rede de dados, elas são cobradas como ligações convencionais, sem consumir o plano de dados, como ocorre com aplicações de VoIP, caso dos já citados WhatsApp e Skype.

As outras vantagens do VoLTE são:

• Tempo menor para o estabelecimento da conexão — de 8 para 2 segundos;

• Possibilidade de navegar na Internet em 4G simultaneamente à chamada;

• Consumo de bateria do celular 35% menor nas chamadas de voz.

Operadoras com VoLTE

Para aproveitar o VoLTE, o primeiro requisito é que a operadora dê suporte ao padrão e que o consumidor esteja em uma área onde ela já foi ativada. No Brasil, TIM e Vivo já oferecem a tecnologia. A Vivo, por ora apenas em Rio Verde (GO), cidade-piloto do processo de liberação da faixa dos 700 MHz para transmissão de 4G.

A TIM se antecipou e conseguiu, com um projeto chamado “full dual layer”, ativar o VoLTE na frequência dos 1800 MHz. Por isso, já oferece a tecnologia em Curitiba, São Paulo e outras 300 cidades, com a intenção de chegar a 1 mil ainda em 2017. Mas a operadora garantiu que o uso da faixa dos 700 MHz para 4G, previsto para o segundo semestre de 2018 em Curitiba, melhorará as ligações em VoLTE. “Quando esta frequência for liberada, a cobertura será aprimorada, inclusive em ambientes indoor [internos]”, disse Marco Di Costanzo, Diretor de Engenharia da TIM Brasil, na apresentação do recursos à imprensa, em Curitiba.

A Claro informou, em nota, que “está testando a tecnologia e irá lançá-la em momento oportuno”. A Oi disse que não tem nada previsto para VoLTE.

Smartphones compatíveis
Outro requisito para o VoLTE é usar um smartphone compatível.

Na Vivo, apenas quatro aparelhos estão homologados: Moto Z, Moto Z Play, Galaxy S8 e Galaxy S8+.

Na TIM, a lista é maior e inclui todos os modelos de iPhone a partir do 6 e SE, além de modelos de entrada, como o K4 Novo, da LG, que tem preço médio de R$ 440. Para consultá-la, clique aqui.

Em dispositivos Android, o VoLTE é selecionado automaticamente quando as duas pontas cumprem todos os requisitos da tecnologia. Um ícone na barra de notificações indica que ela está em uso quando é o caso.

No caso do iPhone, não há qualquer indicador e é preciso ativar a funcionalidade manualmente no Brasil, pois ela vem desativada por padrão — especula-se que devido ao fato de que, até o momento, apenas uma operadora oferecê-la nos grandes centros. Para isso, estando com a última versão do sistema instalada (iOS 11), entre em Ajustes > Celular > Opções de Dados Celulares > Voz e Dados e, nessa tela, selecione 4G.

Um detalhe importante é que as duas pontas que se comunicam precisam cumprir todos os requisitos do VoLTE para que a tecnologia seja usada em uma chamada. Ou seja, se você tiver um celular compatível, for cliente de uma operadora que oferece VoLTE e estiver num região onde a tecnologia já está ativa, mas seu interlocutor não cumprir qualquer dessas exigências, a ligação é feita automaticamente à maneira antiga.

Fonte: Gazeta do Povo

 

COMPARTILHAR